TANGO PARA FERNANDA

 

Fernanda, doce Fernanda,

que encontrei no fundo da noite,

sentada atrás daquela mesa,

diante de mil olhos de desejo,

Fernanda, doce Fernanda,

compreendi que te queria bem

ao saber que, como sempre,

te entregavas por uma noite.

Fernanda, doce Fernanda,

de seios branco e rosa,

olhos verdes, incríveis, de ternura,

por que me deitei sobre ti?

Fernanda, doce Fernanda,

lourinha, enfeitada de noites,

que agora parecem-me mais escuras,

é muito tarde para que eu te esqueça.

Fernanda, doce Fernanda,

eu te beijo para destruir-me a indiferença,

que tentei juntar ao fundo da noite,

aquela noite em que te vi,

sentada atrás daquela mesa,

diante de mil olhos de desejo e,

vindo até mim, deixastes,

que sobre ti me deitasse

e esquecesse que era noite,

no verde, branco e rosa do teu corpo,

minha doce e lourinha Fernanda.



Wilson Melo da Silva Filho