REJANE SPIEGELBERG


"Entre coisas simples

e outras tantas, tão complicadas

Entre o que entendo

e o que deixo de entender

Está esse amor que passa desapercebido

presente para sempre

E ausente, simplesmente"

1 - Biografia Sucinta

Rejane de Santa Helena Spiegelberg Planer, nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul num 22 de setembro. Formou-se em engenharia e mudou-se para o Rio de Janeiro, onde fez mestrado em engenharia nuclear. Em 1989 numa outra mudança em sua vida, um pouco mais radical, foi para Viena, trabalhar na Agência Internacional de Energia Atômica. Ali, em ambiente estranho, manifestou-se mais forte a reação, natural em algumas poucas pessoas, de preservar sentimentos, impressões e posições em forma escrita, tantas vezes em poesia e, no caso de Rejane, tantas vezes, em inglês. E uma dessas suas poesias fê-la, inclusive, merecer um prêmio. O fato de viver fora do seu país e de trabalhar num organismo internacional fez com que a própria Rejane fizesse uma avaliação de sua poesia ao dizer que "com minha poesia, em inglês, eu procuro abrir novos caminhos para a comunicação entre pessoas de formações diversas, usando frases e palavras simples, mas com sentimentos muito fortes. Pelo uso de uma linguagem singela, eu posso dividir minhas idéias e sentimentos mais íntimos, com pessoas das mais diversas culturas, mesmo vivendo e trabalhando num ambiente internacional. A expressão do amor nesse poema ("Love") é como uma busca para entender e harmonizar os sentimentos dentro da gente e como vivê-los no mundo real. Amor é uma palavra comum, usada por quase todos nós, mas é um sentimento poucas vezes verdadeiramente entendido e, na verdade, praticado por apenas uns poucos, nesse mundo conturbado". Rejane, além disso, percebe as diferenças nas poesias dos homens e das mulheres. As mulheres não falam da forma simples como os homens o fazem, dos amores de suas vidas. Mulheres falam de seus sentimentos e, normalmente, para si mesmas.

Rejane tem o hábito de frequentar reuniões culturais em Viena. Numa dessas reuniões realizada num parque, num sábado, logo após o atentado de 11 de setembro às torres gêmeas, com o Sol já se pondo, o perfume das rosas pelo ar, Rejane leu o seu poema "Four Friends" (As Quatro Amigas), com certeza, uma das coisas mais bonitas e emocionantes escritas sobre o desentendimento entre os homens. Só foi possível a Rejane, escrever esse poema, pela sua convivência com pessoas, as mais diversas e das mais diferentes raças, na qual, indo além de sua relação profissional, conseguiu captar e trazer, para si, alguma coisa de suas almas.

Rejane, ao mesmo tempo, musa de olhos imensos e delicada poetisa!

2 - Na internet

 

​​​​