VINICIUS DE MORAES



"De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto."

 

( do "Soneto da Separação")



1 - Biografia Sucinta

Vinicius da Cruz de Mello Moraes, nasceu em 1913, no Rio de Janeiro e morreu em 9 de julho de 1980, também no Rio. Formou-se em direito em 1933, ano em que publicou o seu primeiro livro "O Caminho para a Distância". Em 1938 foi estudar na Inglaterra e publicou "Novos Poemas".

Com a eclosão da segunda guerra mundial, voltou ao Brasil, permanecendo algum tempo em São Paulo. Em 1941, dedicou-se ao jornalismo como crítico de cinema. Em 1943 ingressou na carreira diplomática, indo para Los Angeles, em 1946, como vice-cônsul. Foi para a Europa em 1952, com o objetivo de estudar a organização de festivais de cinema europeus, tendo em vista a realização de festival de cinema em São Paulo. No mesmo ano, fixou-se em Paris como segundo-secretário da Embaixada do Brasil.

Escreveu a peça "Orfeu da Conceição", que foi premiada, em 1954, no IV Centenário de São Paulo e serviu de base ao filme que ganhou o primeiro prêmio do Festival de Cannes de 1959.

Em 1957, Vinícius passou a fazer parte da delegação do Brasil na UNESCO. Sua carreira diplomática foi encerrada com a sua cassação, em 1967, pela golpe de 1964.

Embora a parte inicial da poesia de Vinicius de Moraes tenha tido um certo teor religioso, a sua evolução como poeta e, depois,como letrista, levou Vinicius, além de ser associado ao movimento musical da "Bossa Nova" a ser particularmente conhecido por seus poemas de amor e por suas letras em diversas composições, com diversos parceiros. Assim, temos diversos poemas e letras que ficarão marcadas, para sempre, como obras primas da arte brasileira e como expressão do amor, tais como "Para viver um grande amor", "Soneto da Fidelidade", "Soneto da Separação", "Samba em Prelúdio", "Minha Namorada" , "Garota de Ipanema"e outras.

É interessante, observando o desenvolvimento da carreira literária de Vinicius, observar como se aplica o pensamento de "Schopenhauer" de que a verdade é composta de duas partes: a parte objetiva do fato e a parte subjetiva, que é a nossainterpretação desse fato. Apesar da imensa popularidade de que ainda hoje é objeto o "poetinha", existem opiniões de que, "em termos estritamente literários e até biográficos, sua carreira foi, de certo modo, invertida, passando pelas mutações assinaladas por José Castello: de poeta para músico popular, e de músico popular para showman, num plano inclinado de conseqüências perversas. A popularidade do último período, no bom e no mau sentido da palavra, obliterou por completo o poeta e sua obra, concentrando o interesse e respectiva celebridade nas atividades efêmeras do espetáculo." (Wilson Martins)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                          Soneto da Fidelidade