15/09/2007

 


IN UÍSQUE VERITAS?



Oi,
 
Nesta noite eu estou fazendo, a bordo de um copo de uísque, uma viagem pelas lembranças da minha alma.
 
Como companhia, resolvi ouvir algumas músicas.  Fui ao You Tube e achei a música "estrelas" do Oswaldo Montenegro.   E me lembrei que, há quase vinte anos, ouvindo essa canção, percebi-me escrevendo, para você, uma pequena poesia, "Pelos Sonhos dessa Moça".  Foi a única que lhe escrevi,  uma poesia pequenina, mas, hoje, ainda, entre todas aquelas que este engenheiro bissexto fez, foi uma das que eu mais curti.
 
Mais de dois anos depois de deixar o trabalho, quando minha vida já vai se encaminhando para a segunda metade, faço uma pequena viagem ao passado.  E revivo aquelas coisas que foram reais e aquelas que fizeram parte do meu imaginário.  E me lembrei de você.  Você fez parte de um tempo real onde eu, funcionalmente, indiretamente, me relacionava com você.   Mas, acima de tudo, revivo o meu imaginário.   Você foi, sempre, muito bonita, tantos suspiravam por você.  Mas, na minha alma, eu percebia um pouco mais.   Eu percebia uma pessoa que, lá por dentro, com certeza, valeria a pena conhecer.   Eu, contudo,  nunca pude conviver com você, para saber se estava certo ou errado.  Mas, duvido que estivesse errado.  Com toda a certeza, o seu coração, como o seu jeito de ser, era e é (que as pessoas não mudam), bonito como um imenso tapete de capim verde, depois de uma noite de chuva doce, acarinhado por um vento bom.
 
É por isso, e não me queira mal, que nesta noite, ao me lembrar de tantas coisas que já se foram, de tantas coisas que não se fizeram, eu me lembre de ti.   E a lembrança sua é uma lembrança das coisas dessa vida,  que aos poucos tenta me fugir, tornam o meu coração um pouco mais suave.
 
Sabe, na vida da gente existe uma realidade meio fantástica.  E essa realidade é  fantástica,  para que possamos, de alguma forma, trazê-la para nossa vida real e, ao conviver com ela, possamos ser um pouco melhores.   E, nessa minha realidade, você é uma lembrança muito bonita.  Se não pela realidade real, que se passou em branco, pela realidade imaginária, que fez de você, uma pequena pérola nas lembranças dos meus sonhos, de poder ser uma pessoa melhor, por ter podido estar com pessoas melhores.   

Como você.
 
Do surfista do copo de uísque, no grande oceano desta madrugada,

 

 
Wilson