NERUDEANDO



 

Eu estive em ti.
Quantas vezes arei a terra de teu corpo.
Sofregamente.
Tantas vezes plantei, em ti, a semente do amor,
Como se, de ti, dependesse a vida.
Mas tu não eras feita de terra.
Eras de sonho. Mulher de sonho.
A semente que deitei em ti,
Para perpetuar-me em ti, floresceu em mim,
Tomou a forma de uns tantos versos,
Irreais.
Tu não exististe, e vives para sempre.
Em mim.





Wilson Melo da Silva Filho