MOÇA DO CORREIO



 

Moça loura do correio,

às vezes passo e te vejo,

carimbando e selando,

tantas cartas e postais,

e me pego imaginando,

quanto sonhos, com certeza,

através das tuas mãos.

chegarão, no outro dia,

para tantos corações.

E por falar em sonhos,

eu me pergunto também,

que coisas se passam na alma,

daquela que tanto carimba,

loura moça do correio.

Serão sonhos coloridos,

tantos momentos vividos,

carregados de emoção.

Por isso passo e te vejo

e sigo a perguntar,

que coisas poderiam

àquela moça agradar,

quem sabe um ramo de rosas,

uma caixa de bombons,

uma noite muito louca,

a praia, o Sol a brilhar,

são tantas as perguntas,

e a vontade de te encontrar,

é tão grande, loura moça,

que até telefone comprei,

3322, qualquer coisa, sempre mudo,

até que o dia chegue,

em que, cansada de carimbar,

loura moça do correio,

resolva me procurar.





Wilson Melo da Silva Filho